Vereadores recebem representantes da Superintendência da Igualdade Racial e do Movimento Negro do município

O presidente da Câmara, Marcão Gomes (Rede), e os com os vereadores Abu (PPS), Thiago Ferrugem (PR) e Álvaro Oliveira (SD) receberam nesta sexta-feira (24) a superintendente municipal da Igualdade Racial, Lúcia Talabi, o superintendente adjunto, Rogério Siqueira, e representantes do Movimento Negro da cidade e do interior do município. Na oportunidade, o presidente da Câmara presenteou a superintendente com exemplares de trabalhos realizados pelo legislativo que contemplam personalidades negras da história do município, para que sejam levados para o acervo da superintendência. Entre as ações acordadas, a Câmara e a superintendência emitirão uma nota conjunta de repúdio ao preconceito religioso e realizarão uma Audiência Pública sobre o assunto.

“É um prazer receber todos vocês aqui hoje para abrir a nossa casa para este tema e nos colocar à disposição para trabalhar em prol do resgate das ações da superintendência. Desde já quero agendar o compromisso de fazer um documentário sobre a intolerância religiosa e o racismo, além de abrir a nossa TV Câmara para campanhas relacionadas ao preconceito, pois é inaceitável que ainda hoje tenhamos que lidar com situações como a que ocorreu à pouco tempo envolvendo a nossa Câmara”, disse Marcão abrindo a reunião, lembrando um caso de incitação à intolerância religiosa ocorrida após a veiculação de notícias sobre uma reunião do vereador Thiago Ferrugem com integrantes do Movimento Negro.Lúcia falou sobre preconceito. “É importante termos vereadores aqui hoje, pois quando falamos de movimento negro estamos falando da maior parte do contingente da nossa cidade. Nossa maior luta continua sendo contra o preconceito e é inaceitável ainda termos este crime entre nós. Será de grande importância fazermos este comunicado de forma conjunta, além de debater o preconceito em uma audiência”, disse a superintendente com o apoio do superintendente adjunto.

“Gostaria de solicitar aos vereadores que quando forem levantar alguma questão relacionada ao Movimento Negro, que entrem em contato conosco para que possamos auxiliar e reforçar esse pedido junto aos demais vereadores. Outra questão seria a realização de uma reunião para debatermos o Plano Municipal de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial (Plamupir) aqui na Câmara, para que não seja uma política de governo e sim municipal”, afirmou Rogério, que teve a aprovação do presidente da Câmara que irá formar uma comissão sobre o Plamupir.

Totinho solicitou ações anti-racismo. “Gostaria de fazer um pedido como ativista ao presidente da Câmara, que faça ações educativas contra todo tipo de racismo. Hoje temos menos de 1% dos negros concluindo uma faculdade, além de sermos marginalizados e termos o maior número de jovens mortos. Reforço também a necessidade de uma audiência pública divulgada pela Câmara para tratar do racismo religioso. Outro pedido é sobre o campo de trabalho, que a Câmara possa apoiar nossas ações como instituição, assim teremos mais espaço”, disse o representante do Movimento Negro.

O vereador Abu se colocou à disposição da causa. “Jamais iria me recusar a levantar essa questão, pois sempre lutei por isso e hoje na Câmara posso nos representar. Contem comigo sempre, quero aprender e ser informado. Estou feliz em saber que podemos contar com outros vereadores”. Álvaro Oliveira falou sobre o trabalho nas comunidades Quilombolas. “Levantei este tema aqui e conto com o apoio dos movimentos organizados. Tenho trabalhado nesta questão e gostaria de ser inserido nas ações de vocês. Precisamos saber quem faz o que para juntos podermos deliberar as ações”, afirmou o vereador.

Thiago Ferrugem lembrou a aprovação por unanimidade em plenário de uma Moção de Repúdio contra o racismo religioso. “Aprovamos essa moção e também lembramos, junto com o vereador Abu, do Dia Internacional da Luta Contra a Discriminação Racial. Hoje nós combatemos um tipo de racismo terrível que é o racismo institucionalizado. Estamos vivendo um novo momento na câmara e podemos abrir este leque de discussão. Sugiro ao presidente que façamos um dia em homenagem à mulher negra também”. O presidente Marcão aceitou a sugestão.

*Por Vivianne Chagas – Ascom Câmara Campos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.