Família faz campanha para conseguir cirurgia para menina de 2 anos

O nascimento da Anna Carolina de Gusmão Silveira, carinhosamente chamada de “Anninha”, hoje com 2 anos e 9 meses, foi motivo de muita alegria para seus pais. O que eles não esperavam é que logo nos primeiros meses de vida, a pequena iria travar uma batalha por sua sobrevivência.  E, é com o objetivo de proporcionar uma vida saudável à menina, que seus familiares iniciaram a campanha “Ação entre Amigos S.O.S Anninha”, há cerca de um mês, que tem por fidelidade arrecadar R$ 35 mil para custear a cirurgia que vai corrigir uma deformidade renal.

Portadora de Ureterohidronefrose — que é a dilatação da pelve renal e das demais estruturas do rim (cálices) decorrente de alguma obstrução no trajeto normal da urina—, Anna apresentou uma infecção urinária que a deixou internada por quatro dias, ainda nos primeiros meses de vida, mas foi em meados do ano passado, após um quadro de febre alta, que o estado saúde da pequena se agravou.

“Na época os médicos do hospital trataram a infecção, mas ela não passou por exames mais detalhados, e desde então eu sempre a levei para as consultas para fazer o acompanhamento médico necessário, porém no final de julho do ano passado ela voltou a ter a infecção” relatou a mãe Ignêz Gusmão.

Anninha foi levada para o Hospital Geral de Guarus (HGG) e lá, após exames, foi diagnosticada com um nível de bactérias muito alto na urina. Ela recebeu tratamento para combater a infecção, e os pais foram orientados, por um médico, para que ela passasse por um exame de ultrassonografia, mas o procedimento só foi feito em dezembro.

Com diagnóstico de deformidade na bexiga, refluxo urinário (Vesicoureteral) e um possível cisto no rim direito, a menina foi encaminhada para atendimento com urologista, que após submeter a criança ao exame de uretrocistografia, confirmou a deformidade. “O especialista explicou qual era o problema de saúde da Anninha, mas disse que era caso cirúrgico, nos indicando um médico no Rio de Janeiro que é especialista nesse tipo de procedimento, já que aqui não é feito”, disse Ignêz.

Já em atendimento com o urologista pediatra e cirurgião, Domingos Bica, Anna Carolina foi submetida a novos exames e teve diagnóstico fechado para Ureterohidronefrose.

“Ele descobriu que não se tratava de cisto, mas sim de uma parte do rim necrosada e possivelmente ela já tenha nascido com problema. A urgência da cirurgia é que a insistência da infecção pode agravar o quadro de saúde dela, podendo vir a ter uma septicemia, ou até mesmo, um câncer no local”, disse a mãe acrescentando “Hoje clinicamente minha filha está bem, mas o quadro inspira cuidados”.

A pequena Anninha hoje encontra-se fora do quadro de infecção, que segundo o médio é o ideal para submetê-la à cirurgia, daí a urgência em conseguir “levantar” o dinheiro para o procedimento, que deve ser realizado o quanto antes, no Hospital Copa D’or, no Rio de Janeiro. Para isso, a família está comercializando quentinhas com o apoio do pastor Thiago Rangel na Igreja Batista Palavra de Vida, que frequentam, na localidade de Quilômetro 13, no distrito de Travessão. Também foi disponibilizada uma conta no Banco do Brasil em nome do pai Allan Rocha Silveira: Agência 0005-1 Conta Poupança 87.033-1/Variação 51, para quem puder ajudar na campanha.

“Em um mês conseguimos 1/3 do valor que precisamos para a cirurgia e estamos esperançosos em conseguir o restante o quanto antes, pois a preocupação maior é que ela volte a ter infecção, o que nos obrigaria a começar o tratamento dela do zero”, disse acrescentando “Agradecemos cada ajuda que já nos foi dada e as que ainda virão, pois como não temos esse dinheiro, a saúde da minha filha depende delas”, completou Ignêz que tem ainda um casal de filhos, com 7 e 5 anos.

Créditos: Jornal Ururau

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.