Movimento dos Sem Terra faz manifestação na BR-356

sem terra

 

Trabalhadores do MST realizaram manifestação na altura de Martins Lage

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) interditaram ontem a BR 356 (Campos/São João da Barra), na altura de Martins Lage, para protestar contra o modelo de agronegócio do país e reivindicar a retomada da reforma agrária.

A estrada foi bloqueada nos dois sentidos, gerando cinco quilômetros de retenção no trânsito. Para impedir a passagem dos veículos, os manifestantes queimaram pneus. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local, mas não houve confronto. A pista só foi liberada por volta das 9h, após quase três horas de protesto.

O ato, que teve o apoio do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), integra o calendário de lutas do MST, cujas atividades começaram com a Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Camponesas. Durante esta semana, em 21 estados do país, acontece a Jornada de Luta Nacional Pela Reforma Agrária Popular.

Em Campos, o protesto teve a participação de 85 famílias do acampamento Luiz Maranhão, em Cambaíba, que reivindicam a desapropriação imediata da área. Segundo Antônio Carlos, 46 anos, que mora no acampamento, há quase três anos que as famílias aguardam pelo fim das barracas de lona. “Também não podemos plantar nada enquanto a terra não for desapropriada”, disse. A reportagem do O Diário entrou em contato com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), mas não conseguiu contato com a superintendência.

Créditos: Jornal O Diário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.