Perícia confirma veracidade das provas da “Machadada”

 


Clique na foto para ampliá-la
Machadada: Carla achado foi presa em outubro de 2012
Clique na foto para ampliá-la
Delegado Paulo Cassiano Júnior comandou a operação que prendeu a ex-prefeita Carla Machado

Pouco mais de um ano depois, a Operação Machadada – deflagrada no dia 3 de outubro de 2012 pela Polícia Federal (PF) e que resultou na prisão da então prefeita Carla Machado e do então vereador e candidado a vice-prefeito, Alexandre Rosa suspeitos de formação de quadrilha e captação ilícita de sufrágio (compra de votos) -, o laudo da perícia técnica realizada nas gravações constatou tratar-se da voz da ex-prefeita e dos demais envolvidos, constatando assim a veracidade do material. O resultado foi enviado a 37ª Zona Eleitoral de São João da Barra na segunda-feira e revelado com exclusividade na tarde de ontem no blog do vereador Carlos Machado da Silva, o Kaká (PTdoB). De acordo com parecer do perito criminal federal, Rodrigo Santoro, “não existe sinais de edição, cortes ou adulteração nos videos e áudios”.

O juiz Leonardo Cajueiro deve convocar os citados na Ação de Investigação Judicial Eleitoral, que também envolve o atual prefeito, José Amaro Martins, o Neco – possivelmente beneficiado pelo esquema comandado pela ex-prefeita -, além de candidatos a vereador que teriam aceitado vantagens em troca de desistir da disputa para apoiar candidatos da base política de Carla Machado e, do hoje vereador Alex Firme.

As partes agora tem até o próximo dia 25 para apresentar seus pareceres. Em seguida, o juiz ouvirá as testemunhas arroladas no processo para então, proferir a sentença que pode resultar na cassação do prefeito Neco e seu vice, Alexandre Rosa; e na perda dos direitos políticos da ex-prefeita Carla Machado, que pode ficar oito anos inelegível.

Créditos: Jornal O Diário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.