Câncer de próstata mata menos em homens casados

Estudo americano conclui chances de morrer da doença é 40% menor para quem  divide aliança

noivos

Os homens casados ​​que têm câncer de próstata têm 40% menos probabilidade de  morrer da doença do que aqueles que não são, mostra um novo estudo, segundo  pesquisa americana.

Não está claro por que casamento reforça as perspectivas de sobrevivência,  mas uma teoria é que os homens que passaram por um divórcio ou que são viúvos  estão em maior risco por causa dos efeitos prejudiciais do estresse. Outra  hipótese é a de que homens casados ​​são mais propensos a procurarem ajuda  médica ao primeiro sinal dos sintomas, tudo por causa do incentivo de suas  esposas.

Os resultados do estudo, publicados na última edição do “Canadian Journal of  Urology”, apoiam conclusões de trabalhos anteriores semelhantes que mostravam os  benefícios para a saúde dos relacionamentos estáveis.

Em 2011, um estudo internacional envolvendo 163 mil voluntários descobriu que  os homens solteiros com câncer de próstata tinham 30% mais chances de morrer de  sua doença do que os casados.

O risco deste tipo de câncer aumenta com a idade. Os homens com mais de 50  anos têm mais probabilidade de desenvolver um tumor, e existe um elemento  genético forte para isto. O diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as  perspectivas de sobrevivência.

Para ver se o estado civil teve um impacto significativo sobre as taxas de  mortalidade, os especialistas da Clínica Mayo, em Phoenix, Arizona, estudaram  quase 116.000 homens entre 1988 e 2003, para ver quantos desenvolveram câncer de  próstata durante esse período.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.