Justiça concede habeas corpus e suspeito de mandar matar radialista deixa a prisão

Empresário estava na Casa de Custódia, em Campos, desde a última terça-feira

O empresário Eloy Barcelos de Almeida Lopes, 45 anos, suspeito de ser o mandante do assassinato do radialista Renato Machado, no dia 8 de janeiro, em São João da Barra, foi solto na tarde desta sexta-feira(08/02). A decisão de libertá-lo foi tomada por um desembargador do Tribunal de Justiça do Rio.

Eloy havia sido preso na tarde da última terça-feira(05/02), no escritório de sua empresa, na Rua Manoel Teodoro, no Bairro Pelinca. Segundo a delegada da 145ª Delegacia de Polícia de São João da Barra, Madeleine Farias, a prisão provisória de Eloy foi pedida por 30 dias, não relevando, contudo, quais foram as provas obtidas contra ele.

A principal versão é de que Eloy  teve um relacionamento amoroso com a esposa de Renato e o crime teria sido passional. Ainda segundo a delegada, Eloy insistia para que a mulher de Renato pedisse separação, fazendo várias ameaças.

delegada Madeleine 2Empresário teria contratado ex-funcionário contratar pistoleiro

Segundo ainda a delegada Madeleine Farias, o empresário Eloy teria pagado a seu ex-funcionário João Roberto da Silva, o João Pampinha”, que encontra-se preso, para contratar o autor dos tiros, Gilmar Barreira Ramos Junior, de 32 anos, conhecido como “Cachaça”, que mora em Atafona.

“Houve muitas contradições nos depoimentos de João e Eloy. Não podíamos anunciar que Eloy estava sendo investigado, pois ele poderia fugir. João trabalhou por dois anos na casa de Eloy como ajudante de jardinagem. Descobrimos que ele voltou a trabalhar para Eloy na demolição de um imóvel próximo a Rádio Barra FM, onde morava a vítima. Tudo leva a crer que Eloy mandou João vigiar o radialista, por isso o contratou uma semana antes do crime para trabalhar próximo a sua casa”, afirmou a delegada que também adiantou que vai pedir a quebra do sigilo telefônico do empresário a fim de provar que ele se encontrou com João após o crime. Na entrevista, a delegada disse que a viúva de Renato, Danísia Machado, está na casa de parentes, já que tem medo do empresário Eloy.

Dois presos em janeiro-

Até esta terça-feira, dois acusados de participação no crime tinham sido presos. O primeiro foi Gilmar Barreira Ramos Junior, o Cachaça, de 32 anos, ele é apontado como autor dos disparos. O segundo foi João Roberto da Silva, conhecido como “João Pampinha”. Ele é acusado de contratar Gilmar para matar o radialista. Ambos estão na cadeia pública de Campos, com prisão provisória decretada.

Relembre-

O radialista Renato Machado foi morto a tiros na noite de 08 de janeiro. Ele chegava a sua casa localizada ao lado do prédio onde funciona a Rádio Barra FM, da qual era comunicador e diretor, quando levou vários tiros.

A esposa e a sobrinha da vítima presenciaram o atentado. Segundo foi relatado à Polícia, Renato estacionou o carro diante de sua casa e chegou a entrar, quando um dos autores do assassinato forçou a entrada pelo portão. Neste momento, ele abriu o portão e recebeu quatro tiros. Renato havia saído de uma festa de aniversário. Seu filho de 13 anos ficou na casa dos avós Renato foi levado, inicialmente, para o Centro de Emergência do município. Em razão do seu estado grave, foi transferido para o Hospital Ferreira Machado(HFM), onde não resistiu.

Créditos: Site Campos 24 Horas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.