Revisão do Plano Diretor é apresentada em São João da Barra

O Prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza (Neco) se reuniu hoje (22), com sua equipe administrativa e todos os vereadores para a apresentação do projeto de revisão do Plano Diretor do município. A reunião aconteceu no Cine Teatro São João e contou com a participação do arquiteto e urbanista Jaime Lerner, ex-governador do Paraná, ex-prefeito de Curitiba e consultor do plano e de toda equipe técnica que participou da elaboração do projeto. Em fevereiro vão acontecer duas audiências públicas para apreciação do plano pela população e depois, encaminhado para a Câmara de Vereadores para aprovação.

A revisão do Plano Diretor se faz necessária devido ao crescimento de São João da Barra com a instalação do Superporto do Açu. O objetivo é garantir um crescimento ordenado e sustentável, com máxima qualidade de vida para a população. Nas palavras de Jaime Lerner, “a modificação do Plano Diretor é necessária para evitar a favelização e a marginalização da sociedade, que deve ser integrada independente de qualquer coisa. Os investimentos devem sempre ser feitos a favor da população”.

Taco Rooda, consultor em projetos que envolvem aproveitamento hídrico e um dos colaboradores na criação da revisão do Plano, apresentou premissas que nortearam a elaboração do projeto. Definição da estrutura de crescimento, articulação entre as áreas urbanas, articulação dos novos empreendimentos, proteção do meio ambiente e valorização e aproveitamento da produção rural são algumas delas.

Grande destaque na revisão do Plano se dá na área de transportes. O projeto conta com ciclovias devido ao grande número de usuários de bicicletas no município, malha viária para itinerários de ônibus com trocas de linhas conjugadas, e malha hidroviária num canal de grande extensão.

Professor de engenharia costeira, consultor da Cooptec responsável por estudos hídricos e colaborador do projeto de revisão do Plano Diretor, Paulo Rosman, explicou após questionamento do Presidente da Câmara de Vereadores, Aluísio Siqueira, que os canais serão alimentados pelas águas do lençol freático e não vão trocar águas com o rio ou o mar. “Além disso, a construção do canal não tem dificuldade técnica e a manutenção é mais barata que a manutenção da malha viária”, finalizou.plano diretor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.