Morte de radialista: suspeito depõe; crime pode ter sido político ou passional

A Morte de radialista: suspeito depõe; crime pode ter sido político ou passional

A motivação do crime que vitimou o radialista Renato Machado, de 41 anos, em São
João da Barra, pode ter sido passional ou política.

A Polícia
ouviu um empresário da cidade, que seria ex-namorado da mulher da vítima. O
empresário negou  envolvimento no crime durante depoimento prestado por volta
das 11 horas desta quarta-feira na 145ª Delegacia Legal. Ele teve um
relacionamento amoroso com  Danuzia, mulher de Renato, durante um período em que
o casal esteve separado no ano passado. O empresário e Renato foram vistos
discutindo por duas vezes.

A Delegada da 145ª DP, Madeleine Farias Rangel(foto
acima)concedeu uma entrevista coletiva nesta tarde e falou sobre
as
linhas de
investigação: crime político ou passional.

Em relação
a suspeita de crime político, a delegada explicou durante a entrevista coletiva
que a suspeita se deve ao temperamento da vítima, que teve vários
desentendimentos na última eleição. Renato participou ativamente da campanha do
atual prefeito José Amaro, o Neco, e chegou a levar  um soco no rosto durante
uma confusão generalizada na Câmara de Vereadores.

A delegada
ainda disse que vai ouvir várias pessoas que tiveram desentendimentos com
Renato, que era dono de um temperamento forte já tendo, inclusive, se
desentendido com a própria delegada
.
O crime-

renato machado 2O radialista Renato Machado, que sofreu uma tentativa de
homicídio na noite desta terça-feira(08/01), por volta das 22h30, na sede de São
João da Barra, morreu no início da madrugada desta quarta-feira(09/01), no
Hospital Ferreira Machado(HFM), em Campos. Segundo a Polícia, Renato chegava a sua casa localizada ao lado do prédio onde funciona a Rádio Barra FM, da qual
era comunicador e diretor, quando levou vários tiros.

Como aconteceu-

O crime ocorreu na Rua Manoel de Souza Braga, ao lado
do prédio da rádio, no Bairro de Água Santa. A esposa e a sobrinha da vítima
presenciaram o atentado. Segundo foi relatado à Polícia, Renato estacionou o
carro diante de sua casa e chegou a entrar, quando um dos autores do assassinato
forçou a entrada pelo portão. Neste momento, ele abriu o portão e recebeu quatro
tiros.
Renato havia saído de uma festa de aniversário. Seu filho de 13 anos
ficou na casa dos avós
Renanto foi levado, inicialmente, para o Centro de
Emergência do município. Em razão do seu estado grave, foi transferido para o
Hospital Ferreira Machado(HFM), onde não
resistiu.

A Polícia tenta localizar os atiradores, que seriam
dois homens qeu estavam numa moto. Renato foi um dos coordenadores de campanha
do atual prefeito José Amaro, o Neco, e levou quatro tiros, dois dos quais no
tórax.
rádio barra fm 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.