Barata achada em presunto rende R$ 17 mil de indenização a cliente no RJ

Decisão do Tribunal de Justiça do Rio divulgada nesta terça cabe recurso.
Sadia e Carrefour afirmam que mantém controle de qualidade dos produtos.

O Tribunal de Justiça do Rio condenou a rede de supermercados Carrefour e a Sadia a pagarem R$ 17 mil, por danos morais, a uma consumidora que encontrou uma barata na embalagem de presunto. A sentença da 9ª Câmara Cível, divulgada nesta terça-feira (21) pelo Tribunal de Justiça do Rio, cabe recurso.

De acordo com ação, a cliente Jaci Fátima Gonçalves Vieira comprou queijo e presunto no supermercado Carrefour, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, em 2010. Ainda segundo o relato, ao consumir o presunto, a filha de Jaci reclamou do mau cheiro e, ao examinar a embalagem, percebeu que havia uma barata morta.

Sadia e Carrefour
Procurada pelo G1, a rede de supermercados Carrefour optou por não comentar a decisão da Justiça. No entanto, a empresa se defendeu, argumentando que “conta com uma área de segurança slimentar, responsável por garantir em suas lojas um rígido controle de qualidade dos produtos que comercializa e o cumprimento da legislação vigente”.

Já a Sadia, informou que não foi comunicada sobre a decisão e ressaltou que a companhia tem “uma política de respeito ao consumidor e reafirma que suas linhas de produção obedecem a rígidos padrões de controle de qualidade”.

Para o desembargador Rogério de Oliveira Souza, os fornecedores infringiram as regras do Código de Defesa do Consumidor, uma vez que os alimentos eram conservados de maneira precária e apresentavam fungos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.