Desapropriação no 5º distrito de São João da Barra termina em sofrimento

Agricultor e filhos se recusam a deixar lote e são indiciados pela Políciia Militar e PROEIS (Programa Estadual de Interação na Segurança)


Agricultor e filhos foram detidos para esclarecimentos na manhã desta terça –feira (14) na localidade de Mato Escuro, 5º distrito de São João da Barra. O produtor Luiz Manuel  Peixoto de Almeida de 59 anos, e seus dois filhos, Amoiz e Valdinei Alves de Almeida, foram levados por policiais militares (8º BPM) e representantes da CODIN ( Companhia de Desenvolvimento e Industrial do Estado do Rio de Janeiro) para a delegacia do município (145ª DP) para deporem sobre o caso.

O produtor informou que operários usaram máquina retroescavadeira para destruir as lavouras, e jogaram água em toda a extenção de 1 alqueire de terra. A máquina permaneceu por 1 hora e os quatro representantes da CODIN e policiais militares permaneceram por 5 horas na propriedade.              Amoiz relatou que policial tirou a câmera fotográfica de sua mãos e deletou todas as fotografias nela obtida, e o agrediu fisicamente e algemou com brutalidade. E ainda informa que na noite de segunda-feira ele, seu pai e irmão foram a delegacia de São João da Barra pra abrir um BO ( Boletim de Ocorrência)  e parmeneceram até a madrugada de hoje. O filho de Luiz Manuel, o trabalhador Valdinei A Almeida aguardava sentado no chão da delegacia para depôr, enquanto seu pai estava todo sujo de lama e com lágrimas nos olhos a espera de seus filhos.

Senhor Luiz diz: “ Aquela terra é minha, não vendo nem por 1 milhão, é a vida da minha família que está alí, é o meu sustento. Eles carregaram a meu motor de irrigação e minhas ferramentas que custei tanto pra comprar, minhas terras viraram uma lagoa, meus abacaxis, morangos, bananas, milho, quiabo, aimpim, feijão estão tudo destruidos. O sanjoanense não merece essa quadrilha não, digo e repito é uma quadrilha de poderosos e Deus está vendo. Meu  coração está magoado!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.